segunda-feira, 17 de abril de 2017

Com onda quase perfeita, Filipinho vai à 4ª fase; Mineirinho e Wiggolly também avançam



O sexto dia da janela de Bells Beach começou com a disputa do restante da terceira fase masculina, interrompida na madrugada deste domingo, após a vitória de Caio Ibelli e a eliminação de Gabriel Medina. O primeiro brasileiro a entrar na água foi Filipe Toledo. Demonstrando estar em grande fase, o paulista de Ubatuba despachou o australiano Adrian Buchan por 18.27 a 15.56, avançando à quarta fase. 




Em seguida, foi a vez de Adriano de Souza despachar o francês Jeremy Flores na bateria 9 e também avançar na etapa. Fechando o domingo de vitórias brasileiras, Wiggolly Dantas bateu Matt Wilkinson, mandando para casa o atual vencedor do Bells Beach Pro.
Filipinho começou o seu confronto demonstrando muita disposição. Com dois minutos corridos, o brasileiro surfou uma esquerda incrível, com direito a aéreos, levando 9.77 de nota. Empolgado, o surfista de Ubatuba ainda conseguiu um 6.00 na sequência, deixando Adrian Buchan a 9.11 da virada. Mordido, o australiano foi para a sua primeira onda, levando 6.67 dos juízes. Só que Filipe Toledo surfou para um 8.50 minutos depois, disparando na liderança. Sem se abalar, Buchan anda conseguiu um 8.73, melhorando a sua pontuação, mas não conseguindo a virada. A vaga ficou mesmo com Filipinho.
Adriano de Souza surfa onda nota 9 e sai na frente na bateria em Bells Beach
A bateria de Adriano de Souza foi um pouco diferente. Os surfistas demoraram mais de dez minutos para saírem do zero. Quem pegou a primeira onda foi Jeremy Flores, um 7.50. Adriano não deixou por menos e foi buscar uma esquerda de longo alcance, levando 9.00 dos juízes. Cada vez mais confiante na água, Mineirinho trocou de nota a dez minutos do fim. O 7.37 do brasileiro deixou o francês precisando de 8.37 para virar. Jeremy não deixou por menos e foi buscar um 8.00, passando a necessitar de 8.38 para pegar a liderança. Só que o brasileiro achou um 7.53 nos minutos finais, ratificando a vitória e a classificação.
Na bateria 10, o favoritismo de Matt Wilkinson começou a cair por terra quando Wiggolly Dantas largou na frente com um 7.00 seguido de um 6.73. O australiano respondeu com um 8.00 e passou a precisar de 5.73 para virar. Contudo, o mar entrou em calmaria, e o australiano não conseguiu a onda salvadora. Nos segundos finais, Wiko chegou a ensaiar a virada, mas falhou em uma manobra, e a nota não passou de 5.00. Eliminado, o australiano deixou a água decepcionado com o próprio desempenho.
Terceira fase
1. Frederico Morais (POR) 13.94 x Gabriel Medina (BRA) 13.57
2. Caio Ibelli (BRA) 17.03 x Michel Bourez (TAH) 16.10
3. Owen Wright (AUS) 17.54 x Bede Durbidge (AUS) 13.83
4. Kelly Slater (EUA 12.43 x Mick Fanning (AUS) 13.50
5. Julian Wilson (AUS) 17.04 x Sebastian Zietz (HAV) 17.07
6. John John Florence (HAV) 14.34 x Nat Young (EUA) 11.43
7. Kolohe Andino (EUA) 12.33 x Ezekiel Lau (HAV) 14.00
8. Filipe Toledo (BRA) 18.27 x 15.56 Adrian Buchan (AUS)
9. Adriano de Souza (BRA) 16.53 x Jeremy Flores (FRA) 15.50
10. Matt Wilkinson (AUS) 11.83 x Wiggolly Dantas (BRA) 13.73 
11. Joel Parkinson (AUS) 15.66 x Connor O’Leary (AUS) 10.60
12. Jordy Smith (AFS) 18.10 x Joan Duru (FRA) 14.44
Quarta fase
1. Frederico Morais (POR) x Caio Ibelli (BRA) x Owen Wright (AUS)
2. Mick Fanning (AUS) x Sebastian Zietz (HAV) x John John Florence (HAV)
3. Ezekiel Lau (HAV) x Filipe Toledo (BRA) x Adriano de Souza (BRA)
4. Wiggolly Dantas (BRA) x Joel Parkinson (AUS) x Jordy Smith (AFS)





http://globoesporte.globo.com/radicais/surfe/mundial-de-surfe/noticia/com-onda-quase-perfeita-filipe-toledo-bate-australiano-e-vai-a-4-fase.ghtml

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comments system

Disqus Shortname