segunda-feira, 10 de outubro de 2016

PETERSON ROSA VENCE TODAS AS ETAPAS E CONQUISTA O TITULO DO MARESIA PAULISTA PRO SURF 2016


Petersinho vence todas etapas
Por Fábio Maradei em 09/10/16



Paranaense Peterson Crisanto faz história, vence novamente e confirma título do Maresia Paulista de Surf Profissional 2016 em Itamambuca, Ubatuba (SP). Magno Pacheco foi o melhor do estado e sagrou-se campeão paulista.
Peterson Crisanto fez história. Pela primeira vez em 33 edições, um surfista venceu todas as etapas do Circuito Paulista de Surf Profissional. O feito foi comemorado neste domingo (9), em Ubatuba, na 3ª e decisiva disputa do Maresia Paulista de Surf 2016. Mais uma vez, o atleta de 24 anos foi superior, com grandes apresentações, sem deixar dúvidas do nível técnico elevado, com direito até a melhor nota do final de semana, um 9,60.

Clique aqui para ver as fotos

Ainda na competição, Magno Pacheco, de Guarujá, terminou o ranking como o melhor competidor do Estado, em quarto lugar, sagrando-se o campeão paulista (uma vez que Peterson mora no Paraná). Outro surfista de Matinhos, o experiente Jihad Kohdr, que já tem em sua trajetória título brasileiro e a participação no CT, comemorou a dobradinha paranaense, ficando com o vice-campeonato geral. Raoni Monteiro, de Saquarema, que também já integrou a elite mundial, foi o terceiro classificação final do Circuito.

Na final da etapa, com ondas de até 1,5 metro na Praia de Itamambuca, Peterson novamente deu um show, somando 16,85. Leandro Bastos, do Rio de Janeiro teve uma disputa acirrada com Marco Aurélio, de Ubatuba, e levou a melhor, com Jihad Kohdr em sua segunda final no campeonato, ter
Para alegria da torcida local, Marco Aurélio chegou a ficar na frente, até Peterson iniciar sua arrancada, primeiro com um 7,75 e depois com uma onda muito bem trabalhada, com dois floaters e uma rasgada forte, para garantir um 9,10 e liquidar a fatura, garantindo R$ 8 mil e um relógio Casio G-Shock.

O título geral do Circuito foi garantido ainda na manhã de domingo, quando Peterson avançou para as quartas-de-final, em bateria muito disputada, com três rivais disputando o título paulista. Mas como ele mesmo falou, queria a “cereja do bolo”, para chegar aos 100% de aproveitamento. Das 18 baterias que disputou nas três etapas, ficou em primeiro lugar em 16, sendo que em uma das duas que foi segundo (em Maresias), tirou uma nota dez.

Em todas as situações garantiu resultados acima dos 15 pontos. O outro segundo lugar aconteceu na semifinal deste domingo, ainda anestesiado com o novo título. Mesmo assim, somou 15,15 pontos. “Esse título é uma sensação de dever cumprido. Treinei bastante e os resultados apareceram. O resultado não veio à toa. É a minha volta. Ano que vem vou com tudo no QS e, se Deus quiser, em 2018 no CT”, vibrou.

“Esse é o campeonato mais forte e tradicional do País, de nível muito forte e o título mais cobiçado. Estou amarradão”, festejou, dedicando o título a todos que o ajudaram. “Meus patrocinadores, meu shaper Ricardo Martins, meu preparador físico, minha família, minha namorada, meus amigos, que nunca me deixaram desanimar e sempre me apoiaram, e aos internautas, que participam muito. Todos são responsáveis por essa conquista”, agradeceu.

E para valorizar ainda mais a conquista, Peterson competiu em Ubatuba lesionado, depois de uma torção no tornozelo esquerdo enquanto treinava. “Deus põe obstáculos para serem superados. E não desanimei. Fiquei preocupado, mas procurei ficar em repouso e consegui boas baterias”, disse o atleta, que competiu na primeira etapa deste ano graças a uma rifa de uma roupa de borracha feita por amigos. “Agora é buscar um patrocinador de bico de prancha para competir no QS”, completou.

Com o título geral do Circuito definido, as atenções na etapa se voltaram para a decisão do novo campeão estadual. Oito surfistas iniciaram as quartas-de-final com chances. Magno foi derrotado, mas com boa pontuação ficou na expectativa na areia e depois que Gustavo Ribeiro, de Itanhaém, e Renan Pulga, de São Sebastião, perderam, fez grande comemoração, com outros atletas.

A última vez que um surfista de Guarujá ergueu a taça de campeão foi em 2000, com Maicon Rosa. “É muito bom estar entre os campeões paulistas. Há muito tempo Guarujá não tinha um campeão e estou feliz em também representar a minha cidade. Lutei muito, me esforcei e acreditei”, comemorou Tim, como é conhecido o surfista de 27 anos, finalista na etapa inicial e que se junta a Jojó de Olivença, Tinguinha Lima, Amaro Matos e Paulo Rabello na lista dos campeões de Guarujá.

1200x801
Magno Pacheco é o campeão paulista de 2016. Foto: Renato Boulos.

Outra disputa que empolgou o público foi a Overboard Expression Session, uma bateria sem regras, valendo a manobra mais radical. Campeão paulista no ano passado, Thiago Camarão, de São Sebastião, faturou a disputa, com um aéreo, levando R$ 1 mil.

Também na etapa, destaques para o exemplo de superação do vicentino Diego Meinha. No início da semana, ele sofreu um acidente de moto na estrada, ficou hospitalizado e, mesmo debilitado e sem estar totalmente recuperado, decidiu competir. “Fiz esse esforço, queria estar aqui”, disse. Outro nome que chamou a atenção foi o pequeno Gabriel de Souza, de Ubatuba, o caçula do evento, competindo com apenas 11 anos. “É para já ir aprendendo. Esse campeonato vai ficar para sempre na minha memória”, afirmou o pequeno surfista, que acabou premiado com uma prancha New Advance no sorteio feito na praia entre os espectadores do evento (a outra prancha foi sorteada para os internautas da transmissão ao vivo no site da Maresia).

Para o presidente da Federação Paulista de Surf, Sílvio da Silva, o Silvério, a etapa de alto nível técnico, reunindo surfistas de dez estados, premiou o campeonato. “O Maresia Paulista foi o único circuito profissional oficializado pela Abrasp realizado este ano. Comprova a força do surf paulista. Tanto que hoje sete dos dez atletas no CT são de São Paulo e todos que estão na elite mundial passaram pelas disputas do nosso evento”, ressaltou. “A Maresia está de parabéns por acreditar no surf, por patrocinar o Circuito há dez anos. Sem dúvida, é responsável por ajudar o surf a crescer, evoluir”, completou.

O Maresia Paulista de Surf Profissional 2016 teve os patrocínios da rede de lojas Overboard, Casio G-Shock, K Energy Drink e pranchas New Advance. Apoio da BeeNoculus. A realização foi da Federação Paulista de Surf, com apoios do Governo do Estado de São Paulo/Secretaria da Juventude Esporte e Lazer, prefeituras de Guarujá, São Sebastião e Ubatuba, associações de Surf de Guarujá e de São Sebastião e Ubatuba de Surf, com divulgação do Waves.

1200x800
Thiago Camarão vence a Overboard Expression Session. Foto: Renato Boulos.

Ranking final do Maresia Paulista 2016 - Após 3 etapas

1 Peterson Crisanto – PR – 3.000 pontos
2 Jihad Kohdr – PR – 2.085
3 Raoni Monteiro – RJ – 1.590
4 Magno Pacheco – Guarujá – 1.490 (campeão paulista)
5 Geovane Ferreira – Ubatuba – 1.405
6 Alandreson Martins – RJ -1.370
7 José Francisco – PB – 1.350
8 Renan Pulga – São Sebastião – 1.280
9 Odirlei Coutinho Ubatuba – 1.260
9 Leandro Bastos – RJ – 1.260
11 Gustavo Ribeiro – Itanhaém – 1.250
12 Artur Aguiar – Ubatuba – 1.220
12 Gilmar Silva – Guarujá – 1.220
14 Lucas Santos – Ubatuba – 1.210
14 Gabriel André – Guarujá – 1.210
16 Cainã Barletta – SC – 1.200

Resultados da 3ª etapa

1 Peterson Crisanto – Matinhos/PR R$ 8 mil + um relógio Casio G-Shock
2 Leandro Bastos - RJ R$ 5 mil
3 Marco Aurélio – Ubatuba R$ 3,2 mil
4 Jihad Kohdr - PR R$ 2,6 mil
5 Gustavo Ribeiro – Itanhaém R$ 1,6 mil
5 Renan Pulga – São Sebastião R$ 1,6 mil
7 Caetano Vargas – SC R$ 1,2 mil
7 Léo Neves – RJ R$ 1,2 mil
9 Thiago Camarão – São Sebastião R$ 800,00
9 Wesley Dantas – Ubatuba R$ 800,00
9 Magno Pacheco – Guarujá R$ 800,00
9 Luciano Brulher – Caraguatatuba R$ 800,00
13 Lucas Santos - Ubatuba R$ 600,00
13 Jackson Santos - Bertioga R$ 600,00
13 Hizunonomê Bettero – Ubatuba R$ 600,00
13 Nathan Kawani – Guarujá R$ 600,00

Overboard Expression Session -  Thiago Camarão – São Sebastião, com um aéreo - R$ 1 mil

Todos os campeões do Circuito Paulista

2016 – Peterson Crisanto/PR (campeão paulista: Magno Pacheco/Guarujá)
2015 – Thiago Camarão/São Sebastião
2014 – Wiggolly Dantas/Ubatuba
2013 – Bruno Galini/BA (campeão paulista: Odirlei Coutinho/Ubatuba)
2012 – Ricardo Ferreira/Praia Grande
2011 – Hizunomê Bettero/Ubatuba
2010 – Matheus Toledo/Ubatuba
2009 – Ricardo Ferreira/Praia Grande
2008 – Saulo Júnior/Ubatuba
2007 – Renato Galvão/Ubatuba
2006 – Bruno Moreira/Praia Grande
2005 – Hizunomê Bettero/Ubatuba
2004 – Simão Romão/RJ (campeão paulista: Beto Fernandes/Praia Grande)
2003 – Odirlei Coutinho/Ubatuba
2002 – Renato Galvão/Ubatuba
2000 – Maicon Rosa/Guarujá
1999 – Tadeu Pereira/Ubatuba
1998 – Jair de Oliveira/Santos
1997 – Jair de Oliveira/Santos
1996 – Joca Júnior/RN (campeão paulista: Tinguinha Lima/Guarujá)
1995 – Narciso Oliveira/Ubatuba
1994 – Jair de Oliveira/Santos
1993 – Jojó de Olivença/Guarujá
1992 – Tinguinha Lima/Guarujá
1991 – Renan Rocha/São Paulo
1990 – Douglas Lima/Santos
1989 – Picuruta Salazar/Santos
1988 – Amaro Matos/Guarujá
1987 – Almir Salazar/Santos
1986 – Almir Salazar/Santos
1985/84 – Paulo Rabelo/Guarujá
1983/82 – Almir Salazar/Santos
1981/80 – Almir Salazar/Santos
 minando em quarto.




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comments system

Disqus Shortname