domingo, 25 de setembro de 2016

SUELEN NARAISA VIBRA COM O RETORNO......



Suelen Naraísa é bicampeã brasileira de surfe (Foto: Wander Roberto / Inovafoto / COB)


Após longo tempo sem competições nacionais, o surfe feminino brasileiro voltará a ter um torneio nacional no profissional. E uma família muito ligada ao esporte é a idealizadora do evento. Suelen Naraisa e o irmão Wiggolly Dantas , surfista da Liga Mundial, participam da organização do Campeonato Brasileiro, que será neste fim de semana, em etapa única, na Praia de Itamambuca, em Ubatuba, no litoral norte de São Paulo. 




– É como um sonho que continua vivo. Não só para mim, mas como para todas as atletas brasileiras. A organização está toda envolvida, minha mãe, irmão, primas, patrocinadores, temos feito uma etapa por ano, mas é que no mínimo se torne um circuito com três etapas. Essa é a nossa ideia. Então é mostrar para as associações, que com muito trabalho e vontade, que as coisas voltam a acontecer de novo – disse Suelen, bicampeã brasileira de surfe em 2010 e 2011.
– É só ter um pouco mais de força de vontade, um pouco mais de acreditar na modalidade e acho que esse evento é importante por isso: deixar um sonho vivo nessas próximas gerações do surfe feminino brasileiro. Talento temos demais, não falta. O que falta mesmo são eventos, patrocinadores, acreditar nas atletas. Esse é o nosso objetivo – completou.
Apesar de ter uma competição feminina de volta ao calendário nacional, as atletas acreditam que as mulheres precisam acompanhar os homens no crescimento da modalidade, que teve os dois brasileiros como os últimos campeões mundiais: Gabriel Medina em 2014 e Adriano de Souza em 2015. Nenhuma brasileira disputa atualmente a elite da Liga Mundial, mas para a bicampeã brasileira, a geração de surfistas brasileiras é promissora, se tiver o apoio necessário. 




Praia de Itamambuca, Ubatuba (Foto: Felipe Kyoshy) Praia de Itamambuca, em Ubatuba, recebe torneio brasileiro de surfe feminino (Foto: Felipe Kyoshy)
– Nós temos surfe para competir de igual para igual com as melhores do mundo. Lógico que temos algumas ali que estão na frente do Mundial e estão um nível à frente do mundo inteiro, não só das brasileiras. Acredito muito no talento das brasileiras, está vindo uma geração cheia de gás, de vontade e de muita energia. Precisamos de eventos de categorias de base, não só do profissional. Porque a formação vem desde lá de cedo, de 8 ou 10 anos, mas tem que ser feito esse trabalho. (...) A partir do momento que se torna profissional, você quer o mundial, só que antes precisamos ter isso muito bem fortalecido dentro do país – afirmou.
Suelen Naraisa, de 21 anos, superou um câncer no rim ainda quando criança. A doença quase a tirou do esporte. A atleta já disputou oito temporadas do WQS, que é a divisão de acesso para a Liga Mundial. Atualmente concilia o trabalho na organização do evento com os treinos em preparação para o torneio em Itamambuca.
– Estou aí na disputa por essa etapa aqui em Ubatuba. O meu objetivo, em qualquer evento, pois sou surfista, profissional, quero competir e ir para ganhar. Também tem o objetivo de interação com as meninas, de ver esse novo talento, de ser a inspiração para outras meninas. Para mim dentro d’água vai ser competição e fora vai ser muita diversão – comentou.
* Felipe Kyoshy colaborou  
fonte..........agencias  br     

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comments system

Disqus Shortname