sexta-feira, 11 de dezembro de 2015

FILIPE TOLEDO AVANÇA EM PIPELINE E SEGUE NA LUTA PELO INÉDITO TITULO MUNDIAL

Filipe Toledo, Filipinho, Pipeline Pipe Masters 2015 (Foto: WSL / Cestari)


Filipe Toledo encontrou belos tubos e massacrou Bruce Irons, campeão do Pipe Masters em 2001 (Foto: WSL / Cestari)


Maiores esperanças do Brasil em Pipeline, Filipe Toledo (2º) e Adriano de Souza (3º) cumpriram a missão em uma verdadeira provação pela repescagem (segunda fase) da última de 11 etapas do Circuito Mundial, no Havaí. Os adversários eram complicados,mas os brasileiros mostraram versatilidade e um surfe de alto nível para seguirem vivos na briga pelo título mundial. Filipinho foi o primeiro a entrar na água contra ninguém menos do que Bruce Irons. Nascido e criado nas ondas do North Shore da ilha de Oahu, o havaiano de 36 anos, campeão do Pipeline Masters em 2001, entrou no evento como convidado, sem nada a perder. Vice-líder do ranking mundial e caçula da elite, aos 21, Toledo veio com moral para a disputa de vida ou morte. Dominando os tubos pesados do North Shore Havaiano, o paulista levou a melhor no duelo de titãs, deixando o ídolo local em combinação. Mineirinho, por sua vez, driblou as dificuldades e desbancou o jovem australiano Jack Robinson, apontado como um dos mais promissores de sua geração.


- Ontem eu estava nervoso com o Jamie O'Brien, o mar estava difícil, mas tive sorte de seguir adiante hoje. O Bruce é o melhor aqui, foi um prazer competir contra ele. Fiquei amarradão por ver o respeito que ele tem por mim. No fim da bateria, eu remei até ele. Quando eu era criança, eu ficava vendo ele surfar aqui em Backdoor. Estou muito confortável. A minha família e a minha namorada estão aqui. Estou surfando muito, me sentindo confortável e confiante - disse Filipinho.
Com a vitória, Filipinho tirou da briga pelo caneco o australiano Julian Wilson. Miguel Pupo caiu diante do australiano Adrian Buchan, e Jadson André foi eliminado pelo havaiano Sebastian Zietz na segunda fase. Último brasileiro a entrar no mar pela repescagem, Wiggolly Dantas se despediu de Pipeline ao ser derrotado pelo sul-africano Jordy Smith. Atual campeão mundial, Gabriel Medina, e o estreante na temporada, Italo Ferreira, foram os únicos brasileiros com vitórias na estreia e avançaram diretamente para a terceira fase.
Pipeline tipos de onda surfe (Foto: Divulgação/WSL)Pipeline tem dois tipos de tubos quebrando na sua bancada (Foto: Divulgação/WSL)

As ondas de Oahu vão definir quem seráo melhor da temporada 2015. Pipeline quebra para a esquerda, enquanto Backdoor vai para a direita. Por serem "regulars" (surfa com o pé esquerdo na frente da prancha), surfistas como Filipinho e Mineirinho têm mais facilidade para dropar Backdoor, que quebra para o lado direito, ou seja, eles ficam de frente para a onda, e não de costas, o que seria mais complicado para eles. O atleta goofy (que surfa com o pé direito na frente), como Gabriel Medina, tem mais facilidade para dropar a onda que quebra para a esquerda. O problema é que tanto Bruce quanto Robinson, apesar de serem regulares, já demonstraram enorme capacidade para surfarem com qualidade para os dois lados. 
FILIPINHO ATROPELA REI DE PIPELINE
Filipinho e Bruce abriram uma disputa com rivalidade acirrada, em busca de uma boa posição no canal para pegar a primeira onda. Por conta do fundo de coral nesta região do Havaí, tanto Pipeline como Backdoor são rápidas, situação que faz com que o surfista tenha de fazer o drop (entrada na onda) mesclando agilidade e velocidade. O mar estava propício para Backdoor, e Toledo foi o primeiro a se lançar em belo tubo com velocidade, porém, ele não encontrou saída e levou apenas 1.83. O havaiano também não teve sorte em sua primeira investida. O filho do bicampeão brasileiro Ricardo Toledo não se intimidou. Pegou um belo tubo e escapou pela portinha, saindo com segurança para arrancar nota 6.67 e ampliar a vantagem na liderança para 8.50. O adversário Pipe Master precisava de 7.17 para virar. 
O mar estava difícil, e os surfistas sofriam coma força do mar, que quebra sobre uma bancada de pedras e corais. Bruce ainda encontrou um tubo, ficou profundo, mas a onda quebrou sobre ele. Com o 2.67, o havaiano ampliou para 4.00. Filipinho pressionou o rival e mostrou a sua versatilidade em um tubo de  Pipeline: 7.00, passando a acumular 13.67. O resultado deixou Irons em combinação. Era o que o jovem de 21 anos precisava para ganhar ainda mais confiança. Insaciável, ele pegou outro tubo, desta vez, para a direita. O 7.23 o deixou com mais folga no placar: 14.23. Confortável, caçula da elite ia ampliando a vantagem. A um minuto do fim, a vitória estava praticamente selada com o rival ainda em combinação: 14.23 a 5.07. Toledo segurou a prioridade no fim, e o panorama permaneceu o mesmo até estourar o cronômetro.
MINEIRINHO DESBANCA PROMESSA AUSTRALIANA
Em sua décima temporada na elite, Mineirinho usou a experiência a seu favor diante do australiano Jack Robinson, de apenas 17 anos, vencedor da triagem para o evento principal em Pipeline. O aussie ainda tentou jogar a pressão no surfista de 28 anos ao pegar a primeira onda. O brasileiro não se importou e assumiu a liderança logo em sua primeira investida: 4.83. Adriano ampliou para 8.76 ao acrescentar um 3.93 ao somatório.
Robinson adotou uma postura paciente e foi muito seletivo. A oito minutos do fim, o jovem australiano desapareceu em um belo tubo de Backdoor, ganhou 7.33 e assumiu a ponta: 9.00. Adriano respondeu à altura, mostrando uma boa leitura do mar, depois de um mês de treinos  com o local Jamie O'Brien. Os juízes gostaram e deram ao paulista 8.27, que fez ele somar 13.10 e recuperar a liderança. A disputa ganhou contornos dramáticos no fim, em uma disputa acirradíssima. No último minuto, o australiano, em busca de um 5.78, encontrou mais um tubo, deixando Adriano apreensivo. A nota demorou a cair. Veio a 20 segundos do fim: 5.17. Assim, Mineirinho avançou no sufoco. Superou Jack por 13.10 a 12.50 e soltou um grito de redenção.
RELEMBRE A PRIMEIRA FASE
1. Italo Ferreira (BRA) 14,26 X Adrian Buchan (AUS) 9,33 X Glenn Hall (IRL) 1,70
2. Mason Ho (HAV) 6,17 X Jadson André (BRA) 5,70 X Dusty Payne (HAV) 1,70
3. Gabriel Medina (BRA) 12,60 X Keanu Asing (HAV) 7,84 X Wade Carmichael (AUS) 3,73
4. Adriano de Souza (BRA) 7,23 X Michel Bourez (TAI) 9,33 X Jack Robinson (AUS) 5,06
5. Filipe Toledo (BRA) 7,84 X Kolohe Andino (EUA) 6,50 X Jamie O'Brien (HAV) 8,06
6. Mick Fanning (AUS) 14,60 X Sebastian Zietz (HAV) 4,37 X Bruce Irons (HAV) 14,33
7. Julian Wilson (AUS) 3.84 X Kai Otton (AUS) 12.40 X Ricardo Christie (NZL) 3.10
8. Jeremy Flores (FRA) 11.27 X Matt Wilkinson (AUS) 3.94 X Jordy Smith (AFS) 7.17
9. Kelly Slater (EUA) 9.80 X Taj Burrow (AUS) 11.26 X CJ Hobgood (EUA) 14.97
10. Nat Young (EUA) 6.67 X John John Florence (HAV) 13.33 X Brett Simpson (EUA) 1.50
11. Bede Durbidge (AUS) 2.84 X Wiggolly Dantas (BRA) 1.10 X Adam Melling (AUS) 1.14
12. Josh Kerr (AUS) 13.06 X Joel Parkinson (AUS) 8.17 X Miguel Pupo (BRA) 3.44

BATERIAS DA REPESCAGEM (2ª FASE)
1.Filipe Toledo (BRA) 14.23 x 5.07 Bruce Irons (HAV)
2. Taj Burrow (AUS) 13.77 x 11.20 Brett Simpson (EUA)
3. Adriano de Souza (BRA) 13.10 x 12.50 Jack Robinson (AUS)
4. Matt Wilkinson (AUS) 4.46 x 15.50 Adam Melling (AUS)
5. Julian Wilson (AUS) 12.83 x 6.00 Wade Carmichael (AUS)
6. Adrian Buchan (AUS) 13.17 x 6.50 Miguel Pupo (BRA)
7. Kelly Slater (EUA) 15.57 x 14.93Dusty Payne (HAV)
8. Jadson André (BRA) 6.74 x 10.50 Sebastian Zietz (HAV)
9. Nat Young (EUA) 7.80 x 8.60 Glenn Hall (IRL)
10. Keanu Asing (HAV) 10.33 x 4.90 Kolohe Andino (EUA)
11. Joel Parkinson (AUS) 13.93 x 5.43 Ricardo Christie (NZL)
12. Wiggolly Dantas (BRA) 4.87 X 16.00 Jordy Smith (AFS)

AS CHANCES DE TÍTULO
Mick Fanning é campeão mundial se:
- vencer a etapa
- chegar em 2º e Toledo e Mineirinho não vencerem
- chegar até a semifinal, Toledo não passar das quartas e Mineirinho da semifinal
- chegar até as quartas, Toledo não passar da 5ª fase e Mineirinho das quartas
- chegar até a 5ª fase, Toledo não passar da 3ª fase, Mineirinho da 5ª fase, e Medina não vencer
- chegar até a 3ª fase, Toledo não passar da 2ª fase, Mineirinho da 3ª fase e Medina das quartas
- parar na 2ª fase, Toledo não passar da 2ª fase, Mineirinho da 3ª fase e Medina das quartas

Filipe Toledo é campeão mundial se:
- vencer a etapa
- chegar em 2º e Fanning e Mineirinho não vencerem
- chegar até a semifinal e Fanning e Mineirinho não passarem da semifinal (caso Mineirinho seja 2º haverá bateria de desempate)
- chegar até as quartas, Fanning não passar das quartas e Mineirinho da semifinal
- chegar até a 5ª fase, Fanning não passar da 5ª fase, Mineirinho das quartas e Medina não vencer a etapa
- chegar até a 3ª fase, Fanning e Mineirinho não passarem da 3ª fase, Medina das semifinais e Julian não vencer a etapa (se Julian vencer a etapa, haverá bateria desempate)

Adriano de Souza é campeão mundial se:
- vencer a etapa
​ ​- chegar em 2º, Toledo não passar das quartas e Fanning da semifinal (caso Toledo pare na semifinal, haverá bateria de desempate)
- chegar até a semifinal, Toledo não passar da 5ª fase e Fanning das quartas
- chegar até as quartas, Toledo não passar da 3ª fase, Fanning da 5ª fase e Medina não vencer a etapa
- chegar até a 5ª fase, Toledo e Fanning não passarem da 3ª fase e Medina não vencer a etapa

Gabriel Medina é campeão mundial se:
- vencer a etapa, Toledo não passar da 5ª fase e Fanning e Mineirinho não passarem das quartas
- chegar em 2º, Toledo, Fanning e Mineirinho não passarem da 3ª fase
- chegar até a semifinal, Toledo não passar da 2ª fase, Fanning e Mineirinho não passarem da 3ª fase, e Julian não vencer a etapa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comments system

Disqus Shortname