domingo, 15 de novembro de 2015

Brasileiro Feminino de Surf Jacqueline Silva fatura o título


Jacqueline Silva Brasileiro Feminino 2015, Itamambuca, Ubatuba (SP). Foto: Aleko Stergiou.
Jacqueline Silva Brasileiro Feminino 2015, Itamambuca, Ubatuba (SP). Foto: Aleko Stergiou.
direita
Jacqueline Silva Brasileiro Feminino 2015, Itamambuca, Ubatuba (SP). Foto: Aleko Stergiou.Larissa Santos Brasileiro Feminino 2015, Itamambuca, Ubatuba (SP). Foto: Aleko Stergiou.Tainá Hickel Brasileiro Feminino 2015, Itamambuca, Ubatuba (SP). Foto: Aleko Stergiou.Jacqueline Silva, Brasileiro Feminino 2015, Itamambuca, Ubatuba (SP). Foto: Aleko Stergiou.Pódio Sub-18 Brasileiro Feminino 2015, Itamambuca, Ubatuba (SP). Foto: Aleko Stergiou.Pódio Sub-12 Brasileiro Feminino 2015, Itamambuca, Ubatuba (SP). Foto: Aleko Stergiou.
A catarinense Jacqueline Silva é campeã brasileira de surf profissional feminino de 2015. Aos 36 anos, ela faturou seu primeiro caneco do circuito nacional ao vencer a bateria decisiva do Ultra Surf Feminino, encerrado neste domingo em Itamambuca, Litoral Norte de São Paulo.
Na final, Silva superou a paraibana Diana Cristina, a catarinense Juliana Quint e a cearense Larissa dos Santos, outro destaque do evento, que conquistou o caneco da categoria Sub-18. Na Sub-12, quem se deu bem foi a também catarinense Tainá Hickel.



“Quando eu corria o mundial, a regra da ASP não me permitia correr o brasileiro. Cheguei a participar de algumas etapas, mas não concorria ao título da temporada. Ser campeã brasileira é muito especial. Ver essa nova geração quebrando é incrível. Assisti às baterias e fiquei muito esperançosa. Fazia tempo que não ganhava um evento de grande porte. Estou muito feliz mesmo”, comemorou Jacque, que disputou o circuito mundial durante longos 18 anos e conquistou dois títulos do WQS.
Profissional - A final da categoria Profissional reuniu no outside do tradicional pico ubatubense Larissa dos Santos, representante da nova geração, e três atletas renomadas: Jacqueline Silva, Juliana Quint e Diana Cristina.
Jacque largou na frente com uma boa. Juliana cometeu uma interferência logo no começo e com uma segunda onda boa de Silva, acabou fora da disputa. Larissa e Diana ficaram em combinação e passaram a correr atrás do prejuízo.
Larissa achou uma na casa dos 5 pontos e saiu da combinação na metade do confronto. Diana não se encontrou e obteve apenas notas regulares. Quando a sirene soou, a vice-campeã mundial de 2002, Jacqueline Silva, aos 36 anos, faturou seu primeiro campeonato brasileiro profissional.
Sub-18 - Na categoria Sub-18, as cearenses Yanca Costa e Larissa dos Santos encararam Carolina Bonelli e Rayssa Pessoa, que caíram na água em busca do caneco da temporada.
Larissa impressionou durante todo o evento e na bateria decisiva não foi diferente. Com um surf consistente, apresentou amplo repertório de manobras, tanto de frente, quanto de costas para as ondas.
Para se ter uma ideia da superioridade, a bateria terminou com todas as suas adversárias em combinação. Local do Titanzinho, Santos confessou estar sem palavras. “Nem sei o que dizer. Só tenho a agradecer a Deus”, comentou. “Esse é mais um passo na minha carreira. Vou continuar treinando forte e competindo em cada evento que aparecer”, prometeu a cearense.
Sub-12 - Na categoria Sub-12, as catarinenses Tainá Hickel e Rafaela Coelho enfrentaram a gaúcha Yasmin Dias e a paulista Pamela Mel no duelo decisivo.
Tainá começou forte, somou duas boas notas nos primeiros minutos e deixou suas adversárias em situação difícil durante todo confronto. Muito à vontade desde as primeiras baterias, Hickel destruiu uma da série até o fim e arrancou um 10 dos juízes para fechar o evento com chave de ouro.
“Estou muito feliz. Eu adoro Ubatuba e gosto muito de surfar em Itamambuca. É um local especial para mim”, contou Tainá, que começou a competir aos 8 anos. “Venho competindo em eventos nacionais e internacionais e me dando bem. Agradeço à família Dantas por essa oportunidade”.
“Ela vem de uma família de surfistas e gosta muito das competições. A gente faz questão de incentivar e fica muito orgulhoso”, confessou a mãe Janet Hickel.
Air Show Masculino - Um ataque aéreo marcou a bateria especial Air Show Masculino e o cearense Messias Félix, especialista nas decolagens, voou alto para terminar em primeiro lugar e engordar sua conta bancária em R$ 2 mil.
O local Weslley Dantas, irmão do top Guigui, bem que tentou, mas acabou na segunda colocação e embolsou R$ 1,5 mil. O paulista Emerson Santos finalizou na terceira colocação e o também cearense Heitor Alves ficou na quarta posição.
Ultra Surf Feminino - Idealizado por Wiggolly Dantas, ubatubense e top da WSL, o Ultra Surf Feminino tem apoio da Prefeitura de Ubatuba e acontece no palco do primeiro campeonato exclusivo para meninas da história do surf nacional em 1998.
Na categoria Profissional, 48 atletas de todo país dividem R$ 15 mil em premiação. O evento conta também com as categorias Sub-12 e Sub-18. O objetivo da organização é fomentar as categorias de base.
“Como o SuperSurf aqui de Ubatuba não teve a categoria Feminino e foi na Praia Grande, tive a idéia de promover esta etapa na Itamambuca. Com ela, pretendo ajudar a superar a atual crise do Surf Feminino e prestigiar a praia onde nasci e fui criado”, explica Guigui.
Resultados do Campeonato Brasileiro de Surf Profissional Feminino 2015
Sub-12
1 Tainá Hickel (SC)
2 Rafaela Coelho (SC)
3 Pamella Mel (SP)
4 Yasmin Dias (RS)
Sub-18
1 Larissa dos Santos (CE)
2 Carolina Bonelli (RJ)
3 Rayssa Pessoa (PB)
4 Yanca Costa (CE)
Profissional
1 Jacqueline Silva (SC)
2 Larissa dos Santos (CE)
3 Diana Cristina (PB)
4 Juliana Quint (SC)
Air Show Masculino
1 Messias Félix (CE)
2 Weslley Dantas (SP)
3 Emerson Santos (SP)
4 Heitor Alves (CE)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comments system

Disqus Shortname