segunda-feira, 9 de dezembro de 2013

Vitória de Fabinho Mendes é o novo campeão brasileiro da AUFM


 
Mais uma página da História das competições temáticas da AUFM foi escrita hoje, e o protagonista foi o já imortal Vitória 'Esquadrão do Barradão' de Fabinho Mendes, que conquistou oCampeonato Brasileiro AUFM 2013(vidrilhas/pastilha) com 1 ponto de vantagem sobre o vice-campeão, o surpreendente Paysandu (também de Fabinho) e enormes 7 pontos de vantagem sobre o São Paulo de Ralph Solera, o 'Super Paulo', então atual bicampeão brasileiro, da Libertadores e do Mundial.
O Brasileirão AUFM teve 14 rodadas, com início em Agosto, e contou com o apoio da loja Virou Moda, da marcenaria Madeireiro e da Ubatuba Extintores.

Solera, Fabinho e Paulinho no pódio da 1ª Divisão
 
As rodadas finais foram eletrizantes, tanto para quem disputava título ou vaga nas competições continentais do ano que vem, como para quem estava tentando escapar do rebaixamento. Na parte de cima, o Vitória podia comemorar o título na penúltima rodada, já que o São Paulo vinha de um empate com o Grêmio e, com isso, estava 4 pontos atrás, mas o Esquadrão do Barradão foi surpreendido pelo Botafogo (que estava lutando para sair do Z4) e o título foi adiado. O título do Vitória foi adiado, mas não o de Fabinho, já que na mesma rodada o seu Paysandu goleou o São Paulo por 5x2 e deixou o Tricolor sem chances na competição.


 

Esquadrão do Barradão é o novo campeão nacional
Na última rodada, os dois gigantes se enfrentaram e uma emblemática goleada do Vitória sobre o São Paulo (6x3) em pleno Morumbi garantiu o título dos baianos. A partida foi uma metáfora perfeita da situação das duas equipes dentro de campo, com o São Paulo - soberano nas principais competições da AUFM nos dois últimos anos - passando a coroa para o Vitória, mediante uma derrota categórica.
Outro fator importante: os dois times dominaram as competições nacionais na AUFM este ano, já que protagonizaram a final da Copa do Brasil em Maio (na ocasião, o São Paulo saiu vencedor após duas partidas por 3x1 e 3x2 e foi campeão). Agora, o Vitória deu o troco, com juros.
 
Esta é a segunda vez que o Vitória impede o tricampeonato brasileiro são-paulino, pois em 2000 o time baiano, então comandado por Valdinei Campos, bateu o São Paulo, presidido por Ralph Solera (como atualmente) na final do 17º Campeonato Brasileiro, o famoso 'SampaShow', que era, na época, o então atual bicampeão nacional.
 
De consolo para o São Paulo, que viu o fim de uma Era ocorrer neste Sábado, ficou a felicidade de seu botão Kaí, o camisa 10 Tricolor que também fez História nesse Brasileirão. Ao longo da competição, Kaí deixou para trás o antigo récorde da AUFM de gols na carreira, passando Padilha e tornando-se o botão mais goleador da AUFM em todos os tempos, finalizando o torneio com 85 gols na carreira.

Além de ser o maior goleador de todos os tempos, contando-se os gols de toda a carreira, Kaí tornou-se também o botão a marcar mais gols em uma edição de Campeonato Brasileiro, marcando 26 neste campeonato e superando o récorde de 23 do rei 
Swrain
que durava 17 anos.

Kaí entra para a História: maior artilheiro
 
Aliás, a briga pela artilharia desse campeonato foi a mais acirrada desde os tempos de Padilha, Larsen e Farininha (edições 11, 12 13 e 14 do Brasileirão AUFM). Kaí terminou com 26, Iarley do Papão foi o vice-artilheiro com 19, Didamel do Vitória teve 18 e Valdisneymar do Santos marcou 16. Essa geração também marca época!
Outros destaques da competição foram o surpreendente Paysandu, que assim como o Vitória, subiu da segundona e já em sua primeira temporada abocanha o vice-campeonato e uma vaga direta na Copa Conmebol do ano que vem; e o Internacional de Paulinho Antunes, que liderou várias rodadas mas caiu um pouco de desempenho no fim do torneio, principalmente neste último Sábado, quando fez apenas 1 de 9 pontos, e acabou não tendo condições de brigar pelo título até o fim, mas estará na Pré-Conmebol do ano que vem.
 

situação final dos times do G4
Tirando os 4 primeiros colocados, os demais times brigaram a competição toda para ver quem ia cair e quem ia ficar na elite. O Grêmio, que passou a primeira metade do campeonato no G4, acabou caindo na última rodada, e o Santos, que foi lanterna por 5 rodadas, terminou em quinto, em dois exemplos da gangorra que foi o Brasileirão AUFM 2013.
Os times rebaixados foram o Paraná Clube de Paulinho Antunes, o Grêmio de Sílvio Fonseca, o Palmeiras de Léo Castro e o Santa Cruz de Daniel Valle. Os botonistas rebaixados foram Daniel Valle e Léo Castro, que fizeram as piores pontuações agregadas.
 
Nas últimas rodadas, os times de Augusto Ballio, Bahia e Atlético Paranaense, subiram bastante e escaparam da degola, assim como os do seu irmão Gabriel, o Vasco da Gama e o Coritiba (que escapou no último jogo, ao virar uma partida contra o Inter). O Atlético Mineiro de Léo Castro também penou e só se viu livre na penúltima rodada.
Ficaram para trás o Santa Cruz de Daniel Valle, que terminou na lanterna, sem forças para reagir, e o Palmeiras de Léo Castro, que até fez pontos nas últimas rodadas, mas não foram o suficiente, principalmente após as derrotas em confrontos diretos pro Furacão e Bahia. O Botafogo de Sílvio Fonseca, que passou metade do campeonato no Z4, escapou no sorteio, após empatar em todos os critérios com o Paraná Clube de Paulinho Antunes (que na última rodada venceu o Grêmio por 2 gols de diferença, fazendo ambos cairem... se vencesse por 3 gols, se safava e rebaixava o Bota).


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comments system

Disqus Shortname