sexta-feira, 3 de maio de 2013

Ubatuba Pro Locais dominam o pico



Por João Carvalho em 02/05/13 
Lucas Medeiros manobra em Ubatuba. Foto: Roberto Melchior.
O Ubatuba Pro Grand Slam deu a largada no SUP Wave da segunda etapa do Stand Up Paddle World Tour 2013 no litoral norte de São Paulo. O cenário estava perfeito na quinta-feira, com céu azul, sol e altas ondas na Praia de Itamambuca para iniciar a competição que prossegue até domingo em Ubatuba.

Os melhores do mundo no SUP nas ondas só se apresentam nesta sexta-feira depois das três baterias finais das triagens realizadas no primeiro dia, marcadas para começar às 8 horas em Itamambuca. 

A disputa pelas oito últimas vagas para o Ubatuba Pro Grand Slam reuniu cerca de 40 surfistas de vários países, mas os brasileiros dominaram as ondas na quinta-feira.






Estrutura do campeonato. Foto: Renato Leonardi.
Sete se classificaram para o evento principal da única etapa do Circuito Mundial de Stand Up Paddle no Brasil, os paulistas Michel Jonas, Augusto Martins, Luiz Fernando e Carlos Martins, o carioca Candinho Bisneto, o catarinense Kainoa Teixeira e o capixaba Lucas Medeiros. O único estrangeiro que conseguiu passar para as semifinais foi o peruano Sebastian Gomes.

Eles completaram as 12 baterias da primeira fase do evento principal, com os 40 ranqueados que não precisaram disputar as triagens em Ubatuba. Os que avançaram para a sexta-feira, ainda vão disputar as semifinais e a grande final antes das grandes estrelas do Stand Up Paddle começarem a se apresentar na Praia de Itamambuca. 

O atual campeão mundial, Leco Salazar, só estreia na sétima bateria, mas o campeonato já começa quente com dois fortes candidatos ao título entrando logo nos primeiros confrontos do Ubatuba Pro Grand Slam.

Ambos são havaianos. Melhor surfista de Stand Up do mundo nos circuitos de 2010 e 2011, Kai Lenny abre as disputas por classificação direta para a terceira fase. E a segunda bateria é encabeçada pelo defensor do título em Ubatuba, Mo Freitas.

"Começamos o evento com boas ondas, sol e grande atuação dos atletas locais", aprovou Tristan Boxfort, diretor da Waterman League, que organiza o Stand Up Paddle World Tour. "Em especial, me chamou a atenção os mais jovens, como os brasileiros Kainoa Teixeira, Luis Fernando, Lucas Teixeira, o peruano Sebastian Gomes e o australiano Kai Bates, que surfou muito bem durante todo o evento, mas não conseguiu passar para as semifinais".

Apesar de não conseguir a classificação, um dos destaques da quinta-feira foi mesmo o australiano Kai Bates, que fez a melhor apresentação do dia nas ondas de Itamambuca. No entanto, não achou boas ondas nas quartas de final, quando foram decididas as vagas para o evento principal.

Outra atração foi a guarujaense Kate Brandi, que quase conseguiu passar sua bateria, competindo contra os homens na modalidade praticada em pé na prancha, usando o remo para pegar as ondas.

O Ubatuba Pro Grand Slam é uma realização da Prefeitura Municipal de Ubatuba, Fluir Stand Up, SUPCLUB, Waterman League, Confederação Brasileira de Stand Up Paddle (CBSUP), Associação Ubatuba de Surf (AUS), Cia Radical, com patrocínio de Board House, Gzero Tech e WG; co-patrocínio de New Advance, Art in Surf, Latitude 23; e apoio de Keahana, Raglan, Team Brazil, Silver Surf, Sup Flex, Surfers Paradise.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comments system

Disqus Shortname